Perdas na frente de caixa: saiba como evitar

Especialista mostra como a tecnologia pode reduzir o problema

Furtos internos e externos constituem a principal razão das perdas no varejo, com 34,3% de participação, de acordo com a 2ª Pesquisa de Perdas da SBVC (Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo). As quebras operacionais aparecem logo atrás, com 33,1% de representatividade. Os números assustam, sobretudo em um mercado em que as margens de lucro são apertadas.

Adriano Sambugaro, diretor de marketing da Gunnebo Brasil, empresa com se de na Suécia que fornece ao varejo equipamentos de proteção eletrônica e tecnologia para performance de loja, acredita que quando o assunto é prevenção de perdas, as empresas precisam investir em tecnologias que as ajudem a mudar suas estratégias e melhorar suas rotinas. “Para prevenir perdas e furtos é necessário um conjunto de fatores que vai desde atitudes mais alinhadas da equipe até PDVs mais ágeis e monitorados”, afirma Sambugaro. O especialista destaca cinco orientações que mostram a importância da tecnologia no combate a perdas na frente de caixa, um dos principais gargalos das redes varejistas. Confira:

1. O PDV é o ponto de maior vulnerabilidade nas lojas
Pesquisas apontam que o checkout concentra 40% das perdas internas. Clientes apressados, filas, problemas com preços, tudo isso aumenta a vulnerabilidade. Alguns fatores como cancelamento de compras e pagamento em dinheiro podem ser alvos de fraudes que trazem transtorno e prejuízo para os lojistas. Por isso é importante estar sempre atento, com uma equipe bem treinada e com equipamentos que facilitem a rotina do PDV.

2. É importante controlar as fraudes no checkout
Sabendo que 40% das perdas internas ocorrem no checkout, é importante combater de maneira efetiva esse prejuízo. Muitos erros ocorrem e sequer são notados pela falta de controle e conferência de dados dos caixas. Porém, existem tecnologias que combinam agilidade e controle no momento da compra, prevenindo esse tipo de perda e monitorando toda a atividade do PDV. Um exemplo é o Gatecasha, que, Integrado ao software da loja, monitora à distância todas as operações efetuadas em tempo real com qualidade de DVD, conferindo seus tíquetes com os produtos realmente comprados pelos clientes.

3. Melhore o atendimento e produtividade dos caixas
Ao monitorar as atividades de seu PDV, além de reduzir as fraudes, fica cada vez mais fácil e acessível controlar o atendimento e a produtividade dos caixas. O Gatecash, além de combater as fraudes no PDV, também pode ser usado como ferramenta de gestão, pois associa dados de compras a imagens e áudio. Uma ferramenta valiosa para treinamento e gestão de pessoas.

4. A tecnologia vai alavancar suas vendas
Com as fraudes controladas e reduzidas, é hora de pensar em aumentar as vendas. Caixas mais ágeis ajudam a loja a vender mais e atrair clientes. Com uma equipe bem treinada, aliada às tecnologias que facilitam o dia a dia, as vendas aumentarão gradativamente. A eliminação dos confinados, deixando-os expostos com segurança aumentam os resultados, especialmente com as compras por impulso. Existem muitas tecnologias para expor os mais variados produtos desde etiquetas, protetores de policarbonato e cadeados eletrônicos.

5. A tecnologia reduz custos e tempo nas operações
É fato: quanto mais ágeis forem os caixas, menor é o tempo de espera nas filas e mais satisfeitos ficam os clientes. Divergência de preços e lentidão na leitura dos códigos de barras são apenas alguns dos problemas que geram custos e aumentam o tempo nas operações. Com os desativadores, as etiquetas são desativadas ao mesmo tempo em que se realiza a leitura do código de barras. Duas operações simultâneas, o que gera maior confiabilidade e menos erros.

 

Fonte: www.sm.com.br